O papel da birra na vida de uma mãe

Escritor | 02:21 Leave a Comment
Sabe quando o pequeno se joga no chão, chora porque você tirou algo de sua mão ou insiste em fazer um escândalo daqueles em um lugar público?
A vontade da mãe é sair correndo, fingindo que nunca viu aquela criança - já aconteceu comigo, e eu confesso que tive que contar até mil para não sair berrando também.
O ruim das crises de birra é que muitas vezes você não consegue prever quando elas vão começar: um estímulo mínimo pode desencadeá-las e transformar aquele bebezinho dócil em um verdadeiro monstrinho!
Certa vez minha filha teve uma dessas, ao ver seu sorvete escorregar da casquinha e espatifar no chão. Não houve conversa: foram vinte minutos de intermináveis lágrimas e gritos, que só terminaram quando eu a levei do local. Mesmo com a promessa de comprar outro para substituí-lo, a filhota insistia que queria aquele, o do chão. A solução foi mudar de assunto - e esperar que ela ficasse cansada da crise e resolvesse colocar sua atenção em outra coisa.
Mas crise de birra também pode ser previsível, sabia? Experimente deixar seu filho acordado até mais tarde e analise o dia seguinte: birra pura! Para se alimentar, para se vestir e até para brincar! O mesmo acontece com pequeninos com fome (e sobre eles eu não posso falar nada, porque viro bicho até hoje, quando fico sem comer por muitas horas!).
Se para o bebê a birra é uma etapa fundamental do desenvolvimento (afinal, é uma fase de intenso aprendizado, de compreensão de emoções e de aceitação de frustrações), eu acredito que ela possa ser igualmente útil para o crescimento de uma mãe. Porque ela promove o exercício de habilidades fundamentais para quem lida com uma criança pequena: paciência, autocontrole e até mesmo criatividade! Ou alguém duvida de que você tentará os truques mais esquisitos e loucos para fazer o bebê parar de chorar?
Por isso, na próxima vez em que seu filho tiver uma pequena crise, lembre-se de que ela te faz uma mãe melhor! E sorria, porque talvez seu sorriso deixe o pequenino tão curioso, que as lágrimas deixarão de escorrer!
(Foto: 123RF)